Marcelo Rebelo de Sousa lamentou o fecho de alfarrabistas e ouviu queixas sobre “a lei da doutora Cristas”.

O Presidente da República visitou esta segunda-feira, no Dia Mundial do Livro, várias livrarias, na zona do Chiado, em Lisboa, incluindo um alfarrabista prestes a fechar, onde ouviu queixas sobre “a lei da doutora Cristas”.

Marcelo Rebelo de Sousa chegou ao Largo Trindade Coelho pelas 14h15, para um percurso a pé que duraria cerca de duas horas. A Livraria Olisipo, fundada em 1983, foi a primeira em que entrou e, logo à chegada, Madalena Vicente informou-o de que lhes “falta um ano e tal para sair” daquele espaço.

O chefe de Estado mostrou-se espantado: “Ai é?”. Madalena Vicente, que mantém com o filho, Bruno, o negócio fundado pelo marido, José Ferreira Vicente, que morreu no ano passado, explicou-lhe, baixinho, o motivo para o encerrament